BET – Bacia de Evapotranspiração

A Bacia de Evapotranspiração, conhecida popularmente como “fossa de bananeiras”, é um sistema fechado de tratamento de água negra, aquela usada na descarga de sanitários convencionais. Este sistema não gera nenhum efluente e evita a poluição do solo, das águas superficiais e do lençol freático. Nele os resíduos humanos são transformados em nutrientes para plantas e a água só sai por evaporação, portanto completamente limpa.

Figura 1

Divulgado pela Rede Permear, principalmente em Santa Catarina, esse sistema tem algumas características de construção e desenvolvimento diferentes da Fossa Bio-Séptica ou Canteiro Bio-Séptico, mais usado na região central do Brasil. Mas ambos tem a mesma origem na permacultura e compartilham os mesmos princípios de funcionamento.

Figura 2

FUNCIONAMENTO E PRINCÍPIOS

Um pré-requisito para o uso da BET é a separação da água servida na casa, em cinza e negra. Apenas a água negra, a que sai dos sanitários, deve ir para a BET. A água cinza, aquela que sai da máquina de lavar, pias e chuveiros, deve ir para outro sistema de tratamento como um círculo de bananeiras que também está no projeto que disponibilizo no final deste artigo.

  1. Fermentação
    A água negra é decomposta pelo processo de fermentação (digestão anaeróbia) realizado pelas bactérias na câmara bio-séptica de pneus e nos espaços criados entre as pedras e tijolos colocados ao lado da câmara.
  2. Segurança
    Os patógenos são enclausurados no sistema, porque não há como garantir sua eliminação completa. Isto é realizado graças ao fato da bacia ser fechada, sem saídas. A bacia necessita ter espaços livres para o volume total de água e resíduos humanos recebidos durante um dia. A bacia deve ser construída com uma técnica que evite as infiltrações e vazamentos.
  3. Percolação
    Como a água está presa na bacia ela percola de baixo para cima e com isso, depois de separada dos resíduos humanos, vai passando pelas camadas de brita, areia e solo, chegando até as raízes das plantas, 99% limpas.
  4. Evapotranspiração
    Na minha maneira de ver, este é o principal princípio da BET, pois graças a ele é possível o tratamento final da água, que só sai do sistema em forma de vapor, sem nenhum contaminante. A evapotranspiração é realizada pelas plantas, principalmente as de folhas largas como as bananeiras, mamoeiros, caetés, taioba, etc. que, além disso, consomem os nutrientes em seu processo de crescimento, permitindo que a bacia nunca encha.
  5. Manejo
    Primeiro (obrigatório), a cobertura vegetal morta deve ser sempre completada com as próprias folhas que caem das plantas e os caules das bananeiras depois de colhidos os frutos. E se necessário, deve ser complementada com as aparas de podas de gramas e outras plantas do jardim, para que a chuva não entre na bacia.
    Segundo (opcional), de tempos em tempos deve-se observar os dutos de inspeção e coletar amostras de água para exames. E observar a caixa de extravase, para ver se o dimensionamento foi correto. Essa caixa só deve existir se for exigido em áreas urbanas pela prefeitura para a ligação do sistema com o canal pluvial ou de esgoto.

CONSTRUÇÃO PASSO-A-PASSO

  1. Orientação em relação ao sol
    Como a evapotranspiração depende em grande parte da incidência do sol, a bacia deve ser orientada para a face norte (no hemisfério sul) e sem obstáculos como árvores altas próximos à bacia, tanto para não fazer sombra como para permitir a ventilação.
  2. Dimensionamento
    Pela prática, observou-se que 2 metros cúbicos de bacia para cada morador é o suficiente para que o sistema funcione sem extravasamentos. A forma de dimensionamento da bacia é: largura de 2m e profundidade de 1m. O comprimento é igual ao número de moradores usuais da casa. Para uma casa com cinco moradores, a dimensão fica assim: (LxPxC) 2x1x5 = 10 m3.
    Figura 3
  3. Bacia
    Pode-se construir a bacia de diversas maneiras, mas visando a economia sem descuidar da segurança, o método mais indicado de construção das paredes e do fundo é o ferrocimento, como se pode observar na fotos abaixo. As paredes ficam mais leves, levando menos materiais. O ferrocimento é uma técnica de construção com grade de ferro e tela de “viveiro” coberta com argamassa. A argamassa da parede deve ser de duas (2) partes de areia (lavada média) por uma (1) parte cimento e argamassa do piso deve ser de duas (3) partes de areia (lavada) por uma (1) parte cimento. Pode-se usar uma camada de concreto sob (embaixo) o piso caso o solo não seja muito firme.
  4. Câmara anaeróbia
    Depois de pronta a bacia e assegurada sua impermeabilidade, mantendo-a úmida por três dias, vem a construção da câmara que é super facilitada com o uso de pneus usados e o entulho da obra. Como mostra a foto abaixo, a câmara é composta do duto de pneus e de tijolos (bem queimados) inteiros alinhados ou cacos de tijolos, telhas e pedras, colocados até a altura dos pneus. Isto cria um ambiente com espaço livre para a água e beneficia a proliferação de bactérias que quebrarão os sólidos em moléculas de micronutrientes.
  5. Dutos de inspeção
    Neste ponto pode-se iniciar a fixação dos 3 dutos de 50mm de diâmetro, conforme os desenhos acima, para a inspeção e coletas de amostras de água.
  6. Camadas de materiais
    Como a altura dos pneus é de cerca de 55cm, que juntamente com a colmeia de tijolos de cada lado vão formar a primeira camada (mais baixa) de preenchimento da bacia (câmara), irão restar ainda 45 cm em média para completar a altura da BET e mais 4 camadas de materiais. A segunda camada é a de brita (+/- 10 cm). Nesse ponto eu tenho usado uma manta de Bidim para evitar que a areia desça e feche os espaços da brita. A terceira é a da areia (+/- 10 cm). E a quarta é a do solo (+/- 25 cm) que vai até o limite superior da bacia. Procure usar um solo rico em matéria orgânica e mais arenoso do que argiloso. A última camada é a palha que fica acima do nível da BET.
  7. Proteção
    Como a bacia não tem tampa, para evitar o alagamento pela chuva, ela deve ser coberta com palhas. Todas as folhas que caem das plantas e as aparas de gramas e podas, são colocadas sobre a bacia para formar um colchão por onde a água da chuva escorre para fora do sistema. E para evitar a entrada da água que escorre pelo solo, é colocada uma fiada de tijolos ou blocos de concreto, ao redor da bacia para que ela fique mais alta que o nível do terreno.
  8. Plantio
    Por último, deve-se plantar espécies de folhas largas como mamoeiro (4), bananeiras (2), taiobas, caetés, etc. As bananeiras podem ser plantadas de diversas maneiras. Mas eu prefiro usar o rizoma inteiro ou uma cunha (parte de um rizoma) com uma gema vizível. Após fazer os buracos (no mínimo 30x30x30 cm) deve-se enchê-las com bastante matéria orgânica (palhas, folhas, etc.) misturada com terra. O rizoma deve ficar há uns 10 cm, em média, abaixo do nível do solo. Quando plantada a partir de rebentos (mudas), posicione-os inclinados para fora, isso facilitará a colheita e o manejo das bananeiras.

ÁLBUM DE FOTOS


Acrescentarei as fotos da BET de minha casa assim que tiver completa.

USO EM ÁREA URBANA

Na região sul do Brasil tem diversas BETs em áreas rurais em funcionamento. Não há nenhum impedimento legal para sua instalação. Mas nas cidades, normalmente, tem uma legislação rígida normalizando os sistemas de tratamento residenciais e que impedem o uso desses sistemas.

Em Criciúma, tivemos a primeira implantação de uma BET em área urbana legalizada e aceita pela prefeitura, que poderá incentivar o seu uso para diminuir a demanda por ETEs públicas. Neste momento a cidade está implantando a primeira ETE na cidade para o tratamento do esgoto. E que sabemos não resolverá o problema totalmente e nem por muito tempo. Logo deverá ser ampliada ou duplicada. Até porque todas as águas servidas são misturadas e contaminadas, aumentando o problema para as ETEs. E ainda tem um custo de manutenção que deverá ser repassados aos usuários. A BET tem custo ZERO de manutenção. O tratamento é biológico, sem materiais químicos.

Para auxiliar os interessados, disponibilizo abaixo o RAP (Relatório Ambiental Prévio) que fiz para solicitar a licença de implantação do sistema completo (Bacia de Evapotranspiração e Círculo de Bananeiras). Como esses sistemas ainda são desconhecidos da maioria, o RAP cumpre a missão de explicá-lo tecnicamente aos responsáveis pela área sanitária da cidade. Alerto que não é uma missão fácil, precisa-se de paciência e dedicação para que o sistema seja compreendido e liberado para construção. Os técnicos tem suas razões legais para questionar o projeto e normalmente exigem que o sistema tenha uma saída para o canal pluvial ou de esgoto da prefeitura. O projeto sanitário (abaixo) deve ir como anexo do RAP e mostra como isso pode ser feito sem prejudicar o sistema e ainda serve de ponto de observação de extravase da água.

Arquivos PDF do projeto e do relatório (RAP) para donwload:
Modelo de RAP (Relatório Ambiental Prévio) (191 Kb)
Modelo de planta do sistema completo de tratamento (1,6 Mb)

Na Austrália e em outros países essa já é uma prática comum, divulgadas pelo movimento da permacultura. Vamos fazer o nosso movimento seguindo os projetos a risca e ainda tentando melhorá-los no sentido da segurança e da economia.

Saiba mais:
Outras alternativas para tratamentos de água

176 respostas para “BET – Bacia de Evapotranspiração”

  1. Olá. Achei muito legal o trabalho que você está fazendo e publicando. Quero fazer o mesmo. Gostaria de perguntar se a sua BET já está pronta. Você tem idéia se existe um tempo de durabilidade deste sistema? Será infinita a capacidade de sua utilização se estiver funcionando corretamente?

  2. Boa tarde! Gostei muito do seu projeto, esta de parabéns, gostaria de saber se posso utilizar uma piscina de fibra de vidro (velha) nas dimenções mencionadas para fazer a BET. Desde já agradeço

  3. fantastico tudo isso adorei parabens se for possivel m mande as tecnicas de construçãp das duas fossas por email e mais uma vez parabens pelo excelente trabalho

  4. tenho uma chacarra ,onde não ha esgoto pretendo fazer esse sistema de fossa de bananeira , e gostaria d esaber qual a função dos tubos de espeção , esaber se eles são mesmo necesário.obrigado

  5. MUITO INTERESSANTE O SITE.. AJUDOU MUITO NO PROJETO DO MEU CURSO ENGENHARIA AMBIENTAL,, =)

  6. Boa noite Itamar , belo trabalho!
    Gastaria que vc dimensionasse para mim, tenho 10 banheiros, qual o tamanho que devo construir a fossa?
    Aguardo
    Marciney

  7. Itamar, só mais uma dúvida… : )
    Você teria alguma planilha de custos ou algum orçamento para essa sua BET para uma família com 5 pessoas?
    Estou querendo construir uma e gostaria de saber quanto e o q gastaria ao certo para isso…

    Mais uma vez grata pelos esclarecimentos.
    Stelliany Messinis

  8. Prezado Itamar, parabens pela iniciativa. Estou construindo minha bet em um terreno plano. Ela fica no mesmo nivel e a uns 20m dos sanitarios. O caimento nao e suficiente para o esgoto chegar ate a bet e ser coletado acima do nivel dos pneus. Pergunto: posso fazer a bet mais funda (2m)? Caso afirmativo, quais das camadas internas, cacos, britas, areia e terra devo aumentar para compensar? Obrigado. Giorgio.

  9. cidadania é isso.
    evangelho é isso.
    ir alem das obrigações é isso.
    mudar o mundo é assim.
    um pouco de cada um.
    belos trabalhos.
    a fossa e a disponibilização.
    adelante amigo!!!!!!!!!!!!

  10. Olá Itamar!!!
    Gostaria de saber se as fossas sépticas biodigestoras criadas pela embrapa também são consideradas técnicas baseadas na permacultura.

    Grata,

    1. Eu não sei. Vi algumas páginas que tratam desse projeto. Ainda não é um projeto difundido no meio dos permacultores. Mas você mesma pode ter sua opinião sobre isso, por meio da seguinte análise, os princípios de design da permacultura relacionados a esse projeto foram contemplados? Por exemplo, nos materiais de divulgação desse método notei uma saída na terceira caixa, qual a função dela? Dependendo do objetivo dessa saída, isso pode ser um problema. A permacultura usa técnicas de muitas áreas, da arquitetura, agroecologia, etc. Permacultural mesmo só a metodologia de design.

  11. Olá Itamar, boa tarde. Irei iniciar na próxima semana a construção de uma BET no meu rancho aqui em Santa Branca-SP, e estou com algumas dúvidas a respeito do material que devo usar. Na parte na base da bacia eu preciso usar ferrocimento ou coloco apenas uma camada de cimento (1/4 cimento para 3/4 de areia, como você sugere)? Você usou vedacit misturado na massa para otimizar a impermeabilização da bacia? Muito obrigado e parabéns pelo seu trabalho! Os conhecimento de permacultura devem ser espalhados da maneira mais ampla possível, e acredito que é isso que vocês estão fazendo. Grande abraço, inté!
    Obrigado,
    Vinícius

    1. Vinícius. é bom usar na base o ferrocimento e conectar às paredes para que não crie trincas muito grandes. Quanto ao vedacit pode ser usado mas se a água usada for rica em sais ele fará o mesmo trabalho do vedacit e tapará os poros e pequenas fissuras.

  12. Itamar, boa tarde! Obrigada pela socialização das informações de como fazer uma BET, pois somos um Empreendimento de Economia Solidária que dentro nosso projeto de sustentabilidade desenvolvemos algumas ações e a como moramos numa região meia rural, meia urbana, na Lagoa do Banana e próximo a Praia do Cumbuco-Caucaia/CE, região Metropolitana de Fortaleza, onde todo sistema de de coleta dos dejetos é através das “fossas sépticas”, Estamos programando a construção da nossa e difundir nas comunidades onde desenvolvemos outros projetos, criando inclusive grupos de construtores. Como as nossas comunidades tem um poder aquisitivo baixo, estamos pensando em construir os Fundos Rotativos Solidário, para execuções dos projetos. Salve, salve a nossa capacidade de socializar conhecimentos…

  13. Gostei muito deste projeto fossa verde. Moro em SP em uma chácara muito rica em água potável e um belo lençol freático e estou muito interressado em manter está situação, por isso fiquei muito interressado quando vi a reportagem. Minha chácara fica próximo a um trecho da mata atlântica. Estou interressado em construir esta fossa em minha propriedade e gostaria de saber se é possivel receber orientações sobre a contrução das mesmas. Valeu, vamos tentar preservar o pouco que nos resta, viva a vida.

  14. Sou apenas um curioso não trabalho na área, mais quando se trata de preservação do meio eu estou dentro gostaria de saber a manutenção após os 4 anos para tirar as partes solidas retidas na pirâmides de tijolos ou nu duto de pneus como será feita terei que retirar tudo que foi construído.

    1. Boa tarde!
      Gostei muito da BET e estou pensando em construir uma.
      Também gostaria de saber como será feita a limpeza depois dos 4 anos.

      1. Não é necessária limpeza, como falei no artigo. Mais de 97% do que entra na BET é líquido e o pouco de sólido que entra é diluído e aproveitado pelas plantas.

  15. Caro Itamar, parabens pelo comprometimento com o meio ambiente.
    Gostaria de saber se há alguma medida para a distancia entre o banheiro e a bacia (comprimento do tubo e diametro) e se continua sendo necessario o respiro tradicional na tubulaçao.
    Sendo 2 banheiros o calculo é o mesmo?
    Pde haver curvas na tubulaçao?

  16. gostei muito do seu projeto ele e muito util na era que estamos vivendo, eu gostaria de receber mais informacao de como onstruir uma fossa verde mais economica.

  17. Prezado Itamar, fico feliz em conhecer projetos como o seu, onde com o mínimo de investimento podemos melhorar a qualidade de vida das comunidades carentes do nosso país, que são muitas. Já presenciei muita coisa em dois anos de experiência como Coordenador Nacional do Projeto Rondon e agora como Diretor de Planejamento e execução do Movimento Planeta Verde. Estamos iniciando um projeto em Colinas do Sul (Chapada dos Viadeiros) e em São Gabriel da Cachoeira (Amazônia) com a Tribo Balaio e gostaria muito implantar este projeto fantástico nestas comunidades. Como faço para conseguir?
    Boa sorte e parabéns.
    Márcio

  18. Ita, estou tomando a liberdade de fazer referência à esta página no post do nosso blog (fluxusdesignecologico.wordpress.com) que trata do programa Cidades e Soluções, em seu especial “Jardins Filtrantes”, que mostra um trecho do vídeo Chega de Fossa: http://www.youtube.com/watch?v=HQMgotBb7FQ

    Gratidão pelo primoroso trabalho de sempre,

    Um abração!

  19. Itamar, você poderia me indicar algum sistema para casos em que não se tem como separar águas cinzas de negras?
    Agradeço desde já.

    1. Victor, para todas as perguntas sempre fico pesando um tempo para tentar auxiliar, mas a sua questão é de difícil solução. Antes de desistir da separação das águas, deverias tentar mais um pouco, outros pontos de vista, outros profissionais que podem tentar solucionar isso em sua casa. Só depois adotaria, em caso de total impossibilidade, uma solução meia boca. Como fazer uma BET um pouco maior. Teria que medir o volume de água servida, a incidência de sol e ocorrências de vento para tentar dimensionar melhor uma BET. Vou continuar pensando nisso…

      1. Itamar, obrigado pela atenção. Alterar as tubulações é um pouco complicado já que em dois dos 4 banheiros o piso de cerâmica já foi assentado. Por mim, já teria feito isso, quebrando o mínimo possível, mas minha mãe por exemplo, prefere pagar a mais por uma fossa biodigestora do que refazer a tubulação. Por falar em fossa biodigestora, por enquanto foi essa solução que eu encontrei, além da possibilidade de aumentar o tamanho da BET como você falou. Uma outra pergunta: no caso de aumentar a BET, faria apenas alterando o comprimento, como se tivesse mais pessoas na casa? A casa é para três pessoas, e teremos 3 banheiros (um com hidro) e um lavabo. Inicialmente, calculei a BET para 5 pessoas. O que você acha?

        Muito obrigado, e tudo de bom para você.

      2. Vicotor, eu sugeriria a utilização de um sistema misto montado com aneis de concreto pré-moldados, que tenha no minimo duas torres com a função de fossa séptica, e duas com filtros anaeróbicos transformados em filtros plantados, com saída para o velho e bom circulo de bananeiras, ou outra alternativa semelhante. De toda forma, a saída da banheira deve ser direcionada para outro local, de novo para um circulo de bananeiras por exemplo, senão o sistema deve ser redimensionado de acordo com o volume descartado pela banheira.

  20. Pingback: “Fossas Verdes” objetivam garantir sustentabilidade no sertão cearense – ammbos – Topografia e Meio Ambiente
  21. Olá Sr. Itamar, sou acadêmica de Química e estou começando um projeto do meu estágio, tenho que escolher um assunto voltado a área ambiental- sustentabilidade, um professor mencionou em uma das aulas o sumidouro ecológico com pneus de carros, me interessei pelo assunto quero levar esse projeto para construir um com os alunos, gostaria de em primeiro lugar, pedir sua autorização, pois como sou da área também levar, quem sabe, para minha cidade, pois poucas pessoas conhecem esse processo. Saber também se já existe algum trabalho científico relacionado a BET? Obrigada.

  22. OLÁ ITAMAR EU TO CONSTRUINDO UMA KITNET NA PRAIA É PRA USO SÓ FIM DE SEMANA E FERIADO, VC TERIA TERIA ALGUM PROJETO EM TAMANHO MENOR. OBRIGADO

  23. Olá Itamar, gostaria de saber o tempo de vida util da bacia de evapotranspiração. O Cano que vem das aguas escuras já finaliza logo no primeiro pneu? Ele pode ser colocado sem ser por cima, furado, mas na entrada do pneu mesmo? O cano para futuras analises da água tem que profundidade? Eles ficam dispersos aleatoriamente na bacia? Como é feita essa análise? E mais me explica um pouco melhor esse calculo do tamanho da bacia para a quantidade de pessoas. Desculpe tantas perguntas, mas é que realmente pretendo construir uma lá na fazenda de uma amiga que esta montando uma ecovila.

    Gratidão pelo conhecimento irmão.

  24. bom dia, que coincidencia, vi que vc é de criciuma, moro perto da SATC estava procurando informaçoes sobre bacia de evapotranspiraçao, muito bom colocar as fotos. Minha casa tem uma fossa comum que está com vasamento, é possivel, ao esvaziá-la fazer uma adaptaçao para implantar esse sistema, pois tenho uns pés de bananeira ao lado, nao quero gastar muito, a casa é alugada

  25. Caro Itamar, acabo de conhecer seu site, e isso foi muito gratificante!
    Me pergunto como é que podemos multiplicar pessoas como tu.
    Seu site é realmente um site de guloseimas, Idéias, boas ideias e boas soluções! E eu achando que o mundo se limitava a BBBs e novelas.
    Parabéns pelo seu trabalho.
    Abs
    César

  26. Olá gostaria de saber se possui trabalhos de graduação sobre sistema de tratamento de esgoto por evapotranspiração? ou sobre o círculo de bananeira?
    obrigada

  27. Olá, gostaria de saber o preço aproximado para a realização de uma Bacia de Evapotraspiração e também de um Círculo de Bananeiras. Obrigada.

  28. Oi Itamar,
    primeiramente parabéns pelo empenho! Mas gostaria de saber sobre a questão de segurança alimentar envolvida no plantio e consumo de comestíveis nas bacias. Sou aluna do curso de eng. ambiental e estou descrevendo também como funcionam as BETs em meu trabalho de conclusão de curso. Portanto minha orientadora quer mais detalhes sobre se realmente eles podem ser consumidos, você tem algum artigo ou pesquisa que eu possa consultar sobre este aspecto! Aguardo anciosamente sua resposta. Desde já agradeço, Pauline.

    1. Pauline, assim como desconheço provas de que o consumo de frutos colhidos das bananeiras da BET trazem algum risco a saúde, também não temos provas do contrário, até porque cada BET é uma realidade diferente. Na dúvida deve-se evitar o consumo das frutas ou plantar outras espécies de folha larga como os caetés em substituição às bananeiras para evitar o consumo ou deixar as bananas no pé para os passarinhos. O importante mesmo é usar a BET para o tratamento da água preta.

      1. Ita, irmão, não há possibilidade de transmissão de patógenos das raízes das plantas às frutas produzidas por elas, assim, o consumo de frutos é totalmente seguro. Em todo caso, a sugestào é de sempre minimizar, e se possível abolir o uso de produtos de limpeza industrializados convencionais, até mesmo os ditos “biodegradáveis”. A unica marca de produtos de limpeza que conheço e que se enquadra neste cenário, e que confio, é a Biowash, à parte dele, sugiro recorrer às N receitas caseiras de produtos de limpeza.

        Um abração!

  29. vou construir na praia e preciso fazer um sumidor e achei a ideia do bet muito boa. gostaria de saber se em vez de usar os tijolos dentro do bet posso usar pedra ferro?

  30. Valeu ! Itamar… Grato pelas informações , agora é partir para a implantação do sistema e não ter os problemas de enchimentos de fossas e dos caminhões limpa fossa , obrigado e aquêle abraço.

  31. Muito obrigado pelas informações ,Itamar, só mais uma pergunta :
    No caso dos pneus , para dar vazão da câmara de pneus(anaeróbica) , ao invés de colocar pedras entre os pneus , eu não poderia fazer alguns furos de 3 a 4 cm nos pneus para dar esta vazão?
    Muito agradecido,e um abraço
    Ludovino Garcia dos Santos

  32. Obrigado Itamar , pela atenção, entendi a questão dos tubos de inspeção, mas é que fiz duas perguntas diferentes , e ainda estou em dúvida quanto a primeira ,pois em outros informes pude visualizar a instalação de um tubo na extremidade oposta da entrada dos dejetos , que me faz crer ser uma saída para gases formado no processo da biodigestão , por isso pergunto se realmente há a necessidade deste tubo para saída dos gases formados no processo? Obrigado e um abraço!

    1. Ludovino, eu explico isso no artigo. Essa saída num projeto normal não existe. Só fiz assim porque a minha cidade exigiu uma saída para a rede de esgoto da cidade. Então fiz a saída passando por uma caixa de passagem para mostrar que por ali nunca passou nenhum efluente.

  33. Bom dia Itamar.
    Parabéns pelo site.
    Ele é muito rico em informações e consegue apresentar uma solução viável para muitos dos problemas que afetam o meio-ambiente.
    Estou com uma dúvida em relação a BET. Qual a distância que deve ficar entre os pneus?
    Um grande abraço,
    Sandro

    1. Eu coloco algumas pedras (3-5 cm) entre os pneus para deixar algumas folgas e permitir a passagem da água com os materiais já diluídos para dentro da colmeia de tijolos bem queimados. Não na parte superior dos pneus, mas sim nas laterais.

  34. gostaria de entender melhor sobre a fossa de bananeira.
    1- como sai os efluentes onde eles ficam, porque o cano e furado, porque dois canos e eles nao entopem.
    2- precisa de tubo de suspiro para saída de gases?
    3 – Pelo que entendi , os tubos de inspenção são opcionais , ou seja não são obrigatórios, mas de qulquer maneira não entendi bem a sua serventia , analisar a água para qual objetivo? dá o entendimento que dependendo do resultado poderíamos tomar algumas medidas , que resultados poderíamos esperar e que medidas poderíamos tomar?
    4- gostaria de saber se voces tem os detalhes de corte de drenagem natural.
    Obrigada

  35. Boa noite , Itamar, sou técnico da EMATER no Paraná , e achei esplendido a matéria sobre a BET e o´Círculo de bananeiras, e pretendo implantar estes sistemas no meio rural de meu município , onde temos vários problemas de contaminação do lençol freático provocados pelo uso das fossas secas.Entendi serem estes sistemas mais interessantes que as famosas fossas sépticas , por não gerarem efluentes. Mas ainda tenho dúvidas e gostaria de saná-las :
    1 – Há a necessidade de tubo de suspiro para saída de gases?
    2 – Pelo que entendi , os tubos de inspenção são opcionais , ou seja não são obrigatórios, mas de qulquer maneira não entendi bem a sua serventia , analisar a água para qual objetivo? dá o entendimento que dependendo do resultado poderíamos tomar algumas medidas , que resultados poderíamos esperar e que medidas poderíamos tomar?
    Caro Itamar , aguardo respostas ,e aproveito a oportunidade em parabeniza-lo ,pois nos dias de hoje precisamos de pessoas como você que vem estudando para tornar nossa vida e de nossos semelhantes mais saudáveis e em equilibrio e com respeito a natureza.
    Antecipadamente , agradeço a atenção
    Ludovino Garcia dos Santos

    1. Os tubos são apenas para observação por várias razões, desde um modo de estudar algum mal funcionamento, ou para estudo do processo ao longo do tubo. Por exemplo, você pode perceber que as plantas estão muito desidratadas e pela observação dos tubos pode perceber que não há água, porque a bacia foi mal feita e a água está fugindo pro algumas fresta. Não sei se vai dar para fazer alguma coisas, mas vai dar pra saber a razão.
      A principal razão para mim é coletar a água em alturas diferentes do solo e fazer os exames para ver como está funcionando, como a água está se purificando até chegar ao topo.
      Espero ter sido útil.

    1. Yuri, qual a função das pedras? O uso da palha tem dois objetivos: diminuir a entrada de água da chuva e criar solo para as plantas.

  36. Boa tarde Itamar!
    Belíssimo trabalho este que estás executando, muito bom deixar informação disponível para que outros possam replicar seu trabalho.
    Gostaria de tirar algumas dúvidas. Em caso de não haver separação de água negra e água cinza, gera muito problema ao sistema? É que as casas já estão construidas e utilizam de fossas para destinação final do esgoto em um assentamento que pretendo trabalhar e eu estava pensando em substituir estas fossas pelas BET’s…
    O que acha? É viável fazer o tratamento total do esgoto gerado nas residências neste sistema?

    Grata pela atenção.

  37. Olá, boa noite
    gostaria de saber a melhor solução (sugestão)para a água da cozinha e chuveiros, já que na fossa bioséptica vai somente a água dos sanitários. Inclusive já fiz o buraco para a bioséptica, achando que poderia jogar todas as águas nela.
    desde já agradeço sua atenção
    Flávia Canesin

  38. Olá Itamar, estou pesquisando na internet sobre técnicas de construção e saneamento alternativas, achei esta explicação da bacia de evapotranspiração muito boa e didática. Mas fiquei com umas dúvidas sobre a manutenção do duto de pneus.

    -Como é um duto sem saída, imagino que sempre fique um resto de material sólido decomposto lá dentro, isso não satura o duto com o (muito) tempo de uso?

    -Outra dúvida que pensei é que por ser um duto anaeróbio, como funciona o jogo de pressão entre a água negra que entra, e a pressão interna do duto? Isso não provocaria o retorno da água negra ou de gases pela tubulação? É um sistema sem cheiro?

    Agradeço a atenção!

    1. O duto não satura nunca, desde que: a micro vida no seu interior não seja exterminada com produtos químicos usados desnecessariamente nos vasos sanitários. Elas fazem seu serviço muito bem e com competência inigualável, se ficarem vivas.
      Se você ler atentamente o artigo verá que o duto não é lacrado. Há saídas do duto para a colmeia de tijolos ao redor do duto onde se desenvolvem as bactérias que completam a biodigestão do material. E sim, é sistema sem cheiro nenhum, zero.

  39. Oi Itamar,
    Sou arquiteta da Secretária de Educação do município de São José de Ribamar-MA, já tinha conhecimento dessa fossa mas com o uso de pirâmide de tijolos, fossa que comecei aplicar na área rural desse município , achei genial a adoção dos pneus e da tela para rebocar a parede , vou me espelhar na tua idéia e começar a aplicar a fosso agora dessa maneira.
    abraços

  40. Olá,
    Gostaria de saber se o papel higiênico jogado no vaso entope a BET ou ele também é dissolvido. Há necessidade de manutenção? Se sim, com qual frequência. Pode-se ligar a saída da BET a um sistema com raízes para agua cinza, para no caso de sobrecarga não haver transbordamento? Como pretendo construir em área urbana será que consigo fazer a BET passar por fossa sétpica e o sistema de raízes como sumidouro? Grato por qualquer informação adicional.

    1. Sobre papel higiênico, não sei a resposta. Nunca vi um experimento real sobre isso. Na dúvida não colocamos papel higiênico na BET. Aliás pretendemos parar de usar papel higiênico quando o sistema de aquecimento de água solar estiver pronto, usando apenas a ducha higiênica e claro, uma toalhinha higiênica.
      Para a segunda pergunta, a resposta é óbvia Flavio, a BET é um sistema de raízes e não tem saída por tubos. Se tiver uma saída assim não será um sistema confiável e nem permacultural. Para não transbordar é só dimensionar corretamente e proteger o o solo com palha.
      Para o restante das perguntas a resposta é: não sei. O assunto da aprovação em prefeituras já foi discutido bastante por aqui e minha proposta está no final do artigo.

  41. Bom dia Itamar, comprei uma area nas montanhas aqui no Espirito Santo e pesquisando na internet deparei com seu site, e queria poder estar aplicando seu sistema. Sou tecnico em construção civil, e vejo o quanto desperdiçamos em nossas obras, queria construir la alguns chales e como tenho um lago no local, preciso tomar o cuidado para não contaminá-lo. Este sistema da BET parece ser ideal, pergunto: Seu calculo de 2m³ por pessoa, é considerando o uso mensal, todos os dias? e se o uso for apenas nos finas de semana? Esta metragem pode ser diminuida?

    1. Fernando, tudo é uma questão de ciclo. A princípio a área pode ser menor sim. Vai depender principalmente se o local é bem ensolarado e com vento, assim, o ciclo (biodigestão e evaporação) deverá ser o suficiente rápido para permitir uma área menor.

  42. Prezado Itamar,

    gostaria de saber mais informações tanto a respeito da Bacia de Evapotranspiração (BET) quanto do círculo de bananeiras. Pelo que você falou, cada um possui uma serventia distinta. Seriam elas soluções individuais economicamente viáveis para construções de baixa renda, ou elas poderiam ser melhor adequadas para soluções coletivas (abrangendo um condomínio, ou uma pequena comunidade rural)? Servem tanto para área urbana como rural? Quanto sairia o custo de cada uma dessas soluções, tanto se adotado um modelo individual ou um coletivo?

    Agradeço de antemão por qualquer informação.
    Álisson.

  43. Grato mais uma vez. Vc acredita que as paredes construídas em alvenaria (com blocos) e rebocadas por dentro com reboco forte e ainda utilizando uma lona plástica, não sairia mais em conta e teria o mesmo resultado? Vc acha que não é suficientemente impermeável ou durável? Fiz uma assim recentemente e gastamos menos do que R$ 1300,00. Perdoe as minhas constantes perguntas, mas a intenção é optimizar o processo em todos os sentidos e aprender com quem está fazendo mesmo.

    1. Penso apenas que se deveria evitar o os blocos de argila. Tenho visto sistemas construídos imersos em lodo ou água terem sua resistência diminuída com o tempo, chegando a ruir. Como a bacia fica enterrada, as paredes para o lado do barranco ficam sem reboco deixando a argila em contato com a umidade, o que também a enfraquece com o tempo. Mas se for blocos de concreto, penso que a resistência será quase tão boa quanto o ferrocimento. Que pelo uso da trama de ferro e tela, e usar apenas areia e cimento, a resistência estrutural da BET fica superior. Minha principal razão é a segurança.
      Mas não tenho dados para comparar os custos com os blocos de cimento.

  44. Grato pelo esclarecimento Itamar. Vc tem feito sempre de ferrocimento? É pra ter uma garantia maior de durabilidade e impermeabilização?

    1. Oi Abertinho, primeiramente pela impermeabilização e segundo por ser o método mais econômico, que conheço, para garantir isso.

  45. Oi Itamar, sou eu novamente. Vc tem utilizado pneus de aro 14 ou outro? Eu tenho utilizado os de aro 15, quando possível. O que acha disso? Abração
    Albertinho

    1. Eu usei por conveniência (disponibilidade) os pneus de aro 13 mas comparado as câmaras de concreto este diâmetro útil final do duto é o suficiente. Quanto ao custo, não fiz um controle rigoroso, mas deve ter ficado em torno de R$ 2.000,00 por causa da mão de obra. Se for feito em mutirão deve ficar abaixo de R$1.300,00.

  46. Oi Itamar, que belo trabalho e grato por compartilhar as informações e fotos. Eu também já fiz a minha, mas não usei ferrocimento. Vc tem os custos dessa que vc fez, considerando o uso da tela de armação e a de viveiro? Grande abraço, paz e luz.
    Albertinho (direto da chapada diamantina)

  47. Olá Itamar, parabéns pelo seu trabalho.
    Sou moradora da cidade de Marabá-Pa e a partir do mês de junho começarei a construção da minha casa, já tem algum tempo que venho pesquisando sobre formas viavéis para o tratamento correto das águas, e dentre essas pesquisas encontrei os seus trabalhos e achei sensacional, parabéns mais uma vez.
    Gostaria de esclarecer algumas dúvidas com você, para a construção de uma BET, eu não poderia aumentar a profundidade e diminuir o comprimento? Não daria no mesmo no final? Pois o espaço que tenho para essa construção é pequeno e o Círculo de bananeiras pode ser construido ao lado de uma BET?
    Desde já agradeço a atenção e aguardo resposta.

    Daiane Simões

    1. Oi Daiane, como respondo a todas as perguntas por e-mail, fiquei na dúvida se respondi a sua pergunta, então segue por aqui. Você pode construir um Círculo de Bananeiras ao lado de uma BET, sem problemas, mas o ideal seria tomar dois cuidados. Que a distância não fosse muito pequena para não diminuir a área de absorção do círculo e não prejudicasse a estrutura da BET. E a outra é a posição em relação a BET, o círculo não pode impedir a BET de tomar sol. A minha ficou a 2 metros e lado a lado em relação a face norte. E quanto a profundidade o ideal é manter a relação especificada (1 m de profundidade apenas e dois de largura, principalmente porque a evapotranspiração, precisa de plantas em cima para funcionar. Se você diminuir a área também diminuirá a evapotranspiração e sua bacia poderá transbordar. Tem outros pontos que uma profundidade maior irá prejudicar o projeto mas a primeira já é o suficiente para inviabilizar o projeto.

Os comentários estão desativados.