Colaboração e felicidade

“A colaboração é um atributo da maneira como as pessoas se organizam.”

Tenho muitas dúvidas sobre essa afirmação. Em experiências na minha empresa percebi que uma organização horizontal sem hierarquia favorece à colaboração. Mas também percebi que a colaboração não é atributo apenas da maneira como as pessoas se organizam. Vejo muitos casos de colaboração mesmo em organizações hierárquicas. Há razões internas das pessoas (não manifestas) que também levam à colaboração. Nossa sociedade foca apenas no manifesto (fala, ações, ambiente, etc.). Mas também há cooperação/colaboração quando há pessoas que “vêem” além das aparências. Não significa que são boazinhas ou algo assim, apenas focam além das aparências, na essência das pessoas, a partir de si próprio.

felicidade em japonêsEsses ideogramas japoneses representam a felicidade. Significam “pessoa feliz”, pessoa que se ajusta. Ou “pessoas felizes”, pessoas que se ajustam entre si.

Aprendizagem x ensinagem

Pra continuar examinando… Aprender está ligado à habilidade de perceber os fatos e a realidade que nos cercam. O verdadeiro conhecimento acontece a partir de si mesmo, da auto-organização. Ao ensinar alguém transmite-se apenas a leitura de um fato. E a leitura não é o fato. Uma substituta da aprendizagem a partir de si é a imitação.

O encantador de cães

Estas são observações feitas a partir dos vídeos do Cesar Millan, o encantador de cães, sobre relacionamento e comportamento de cães e pessoas.

Há uns meses atrás comprei um livro do Cesar Millan para meu filho Gabriel que gosta muito de animais e principalmente de cães, mas pouco de leitura. Passamos a conversar sobre os casos relatados pelo Cesar e sobre a sua própria história de vida. De um motivo pra gostar de ler, surgiram outros motivos e acabamos assistindo aos vídeos dele no Youtube.

Cezar parece ter percebido algo que poucas pessoas se deram conta sobre cães e, acho também, sobre pessoas. Mas o que será que tem de tão especial na abordagem dele?

O bom de examinar esses vídeos é que são de casos reais e podemos examiná-los quantas vezes quisermos.

Vídeos de casos que selecionei (dublados)
Que tal usar um tempo para examinar os vídeos abaixo? E anotar os pontos que lhe chamaram a atenção antes de seguir a leitura? Apenas para ter suas próprias impressões antes de se unir às minhas.

Opie (parte 1)

Continue lendo “O encantador de cães”